Arquivo da tag: Dries Van Noten

Dries Van Noten no Museé des Arts Décoratifs.

dries

Viajar (no mínimo) duas vezes por ano para pesquisar a moda de cada temporada faz parte do meu trabalho. Das marcas de luxo ao street style, costumes locais, beleza, comportamento, tudo inspira e forma o mosáico de informações relevantes para passar aos meus clientes. E algo que não pode faltar jamais é visitar museus, exposições, galerias de arte. Na minha ida a Paris em Abril, tive a sorte de pegar a exposição de Dries Van Noten no Museé des Arts Decoratifs.

dries2

Muito além de mostrar apenas coleções do Belga (que por si só já mereceriam o espaço, o cuidado e a riqueza de detalhes impressionam), a exposição inova ao dividir com o visitante as inspirações por trás de cada criação. Obras de arte de Francis Bacon e Yves Klein, vestidos originais de Dior, Paul Poiret e Balenciaga se misturam à painéis chineses com centenas de anos e tecidos históricos.

Estampas inspiradas na natureza (marcas registradas do estilista):

dries12

Vestido Balenciaga original:

dries9

“As cores vivas e a leveza de borboletas. Uma mistura de paixão violenta e maravilha, constantemente oscilando entre beleza e crueldade, evoca a natureza efêmera da juventude. A perturbadora e potente atração de uma borboleta- e também sua passageira existência- sugerem o ambíguo encanto da adolescência. Por um breve, porém poderoso momento na beirada da vida adulta, força e fragilidade, liberdade e rebeldia coexistem.”

Para ilustrar essa reflexão, Damien Hirst e vestido de Elsa Schiappereli:

dries4

Texturas que remetem à pássaros como as penas:

dries10

A exposição é uma verdadeira volta ao mundo. O Oriente e seus mistérios sempre fascinaram Dries:

dries11

A Índia:

dries13

Dourado e toda opulência que acompanha a cor:

dries5

Uniformes e a aristocracia também figuram, a amostra é um pouco aula de história e de artes em geral:

dries7Jimi Hendrix e sua mistura de estampas e psicodelia 60´s. Referências pop como Hendrix, filmes como “Laranja Mecânica” se misturam ao mundo extraordinário de inspirações do designer.

dries15

Tecidos especiais e vestido dos anos 20, foi minha peça favorita de toda a exibição:

dries14

Até o movimento grunge figura, foi ponto de partida da elogiadíssima coleção do Verão retrasado de Dries:

dries8

Entrei com respeito ao trabalho de Dries Van noten e curiosa para explorar mais suas coleções, saí engasgada e encantada com tanta sensibilidade e riqueza. Realmente emocionante acompanhar a evolução de seu trabalho, conhecendo e reconhecendo inúmeras referências e detalhes que se transformaram em peças lindíssimas. Vale para qualquer amante da estética, um presente aos olhos e à mente.

Dries Van Noten Inspirations- Museé des Arts Décoratifs- Até 31 de Agosto de 2014.

Fotos: Reprodução, Roberta Weber.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Inspirações

Vontade do dia- Pele (fake) colorida.

fur9

AVISO: Embora o assunto gere muita polêmica, o objetivo do post é dividir com vocês uma vontade súbita (nem tanto, ando cogitando a compra há algum tempo), de adquirir um colete de pele/pelúcia colorida. Sobre a questão de real ou fake, deixo cada um com sua consciência e convicção. Hoje em dia, a oferta dos dois tipos é imensa.

Na passarela, os tons rosados são os favoritos para o Inverno 2013:

furo

A pele cria a impressão de superfície maior, aumentando visivelmente a silhueta. A sugestão é sempre usá-las com outras peças sequinhas, que não agreguem nenhum volume. Uma das tendências mais fortes, serão as saias de pele. Ótimas para quem tem o corpo triângulo invertido, com ombros maiores que o quadril, ao usar a saia de pelúcia com uma parte de cima justa, o corpo fica proporcional. Aqui as opções da Fendi e da Proenza Schouler:

furi

Voltando ao tema na forma prática, sou super friorenta e acho as pelúcias uma ótima maneira de me aquecer, além de passar aquela vibe anos 70 que eu super me identifico. Se você também, vale conferir o post “Trend alert- Estilo groupie”. Um modelo colorido ajuda a animar os looks neutros tão normais do Inverno. Também dá para colocar em prática as dicas do “colorblocking invernal” e apostar na mistura de tons outonais como petróleo e vinho:

fur2

Entre os meus tons preferidos para aderir, escolho telha, vinho, roxo, verde escuro e azul petróleo. Um modelo multicolorido, com toques vibrante é uma boa maneira de experimentar, sem abandonar um estilo mais discreto:

fur3

Particularmente, gosto da idéia mais ousada, como este modelo alaranjado com detalhe de onça. A dica para não errar é sempre optar por complementos neutros, como o infalível P&B:

fur5

Outra possibilidade é a clássica estola, que fica super legal como gola de casacos de Inverno, na sua maioria preto, cinza ou navy. Na foto, gostei muito da peça adicionada ao look anos 50 esportivo:

fur8

Misturar cor com animal print, não é exatamente uma novidade, e as mais animadas podem combinar a pele colorida com bege e uma bolsa estampada, como fez a top Abbey Lee:

fur10

Preto total não oferece riscos e comporta qualquer cor:

fur4

Isabel Marant fez sucesso há algumas temporadas com seu modelo multicolorido que não saiu de moda. Misturar a textura de pele com peças de couro deixa o look ainda mais charmoso:

fur7

Mais uma opção multicolorida, uma das minhas preferidas:

fur

UPDATE: Em sua coleção Resort, a The Row aposta não só na pele colorida do colete, como na clutch combinando em tom e textura. Vocês gostam?

furrow

Fotos: Reprodução.

Deixe um comentário

Arquivado em Inspirações, Update das tendências, Vontade do dia

O melhor da #PFW.

VACARE

Finalizando os posts sobre a temporada Outono-Inverno 2013/14 do hemisfério Norte com a melhor das semanas de moda: Paris. Na minha opinião, Paris reúne as melhores marcas e os desfiles mais esperados. Foi difícil editar os meus favoritos, depois me contem se vocês concordam!

Quem quiser ver os outros posts da NYFW, LFW e MFW é só clicar em cima de cada cidade.

Abrindo com Anthony Vaccarello, falei sobre ele aqui no site em 2011, desde então ele confirmou seu espaço e conquistou sucesso indiscutível com roupas cada vez mais lindas e de apelo sexy sem cair na obviedade. Amei o mix de peças com influência esportiva e detalhes de correntes!

O melhor evening wear pertence a gaucha Barbara Casasola. Sua especialidade são roupas feitas para serem usadas depois das 6 da tarde, e sua mulher elegante e intelectual melhora a cada novo desfile. Destaque para o comprimento midi e transparências estratégicas:

CASA

Phoebe Philo não costuma decepcionar e seu Inverno para Céline é minimalista e mais feminino que de costume. Adorei o modelo de saia flute com comprimento mais alongado. Vale também destacar a estampa xadrez de feira que ficou luxuosa na leitura de Philo.

As botas cuissarde em cinza são objetos de desejo!

CELINEO punk da Chanel: Karl Lagerfeld sempre arranja maneiras de reinventar os códigos da maison criando coleções atuais, mas que respeitam o estilo da marca. Homenageando o punk que é o tema da exposição anual de moda do MET em 2013. Me apaixonei pelas peças em tweed, pelas saias skater, e pelo styling impecável. Especialmente o truque da meia de couro dando impressão de cuissarde e o colar usado por cima dos cabelos. Uma verdadeira aula de inovação:

CHANEL

O grunge cigano da Givenchy: Já cansei de comentar aqui que Riccardo Tisci é meu estilista favorito. Neste Inverno, ele propos misturar sua mulher sempre um pouco étnica através da cultura cigana, com referências ao movimento grunge. Xadrez, florais, imagens de Bambi e detalhes como brilhos e jaquetas biker garantem um resultado original e que desperta desejo:

GIVENCHY

O couture street de Giambattista Valli. O estilista é mais conhecido por seus vestidos de alta-costura deslumbrantes. Agora também diretor criativo de uma linha especial da Moncler, ele uniu sua marca registrada à tênis de estilo slipper, que emprestaram uma cara mais contemporânea às suas peças. Saia envelope, detalhes em pele e comprimento no joelho é a formula infalível de Valli para o Inverno.

GIAMBA

A mulher européia da Hermès. Parte francesa, parte inspirada nas heroínas de Hitchcock, Christopher Lemaire levou para passarela uma mulher incrivelmente chique vestida em tons terrosos e no clássico P&B. Possivelmente a minha coleção favorita pela sua simplicidade e roupas belíssimas:

HERMES

A estréia de Alexander Wang na Balenciaga. Apesar de amar Wang, não fiquei muito entusiasmada quando seu nome foi anunciado para substituir Nicholas Ghesquiére na maison. Foi uma grata surpresa. Releituras de momentos chave da marca, junto com o olhar moderno de Wang resultaram em uma coleção impecável. Minhas peças favoritas foram as com efeito craquelê:

BAL

Os vestidos da Valentino. Mais do mesmo, mas cada vez melhor, muito vermelho, azul, renda e detalhes em couro dominaram o Inverno da Valentino, desta vez, estampas de tapeçaria também ganharam espaço. Me apaixonei pelos vestidos curto em azul klein e com detalhes transparentes:

VAL

O uso de cores de Dries Van Noten. Responsável pelo meu desfile favorito do Verão passado, nesta temporada o belga comprovou mais uma vez seu dom com cores, utilizando tons vivos, plumas e criando para uma mulher cheia de estilo que preza a qualidade com um pouco de ecêntricidade:

DRIES

Os acessórios da Lanvin. Alber Elbaz surpreendeu novamente com sua habilidade em criar peças femininas que enfeitam e destacam o melhor de cada mulher. Desta vez, a melhor parte foram os acessórios com palavras divertidas como cool, love, help, marcando cintos, colares e anéis nada discretos. Garantia de sucesso e de muitas cópias nas principais lojas fast fashion.

LAN

Qual a coleção favorita de vocês?

Fotos: Reprodução.

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

(Micro) trend alert- Óculos branco.

O branco virou favorito da moda há algum tempo, dos temidos sapatos brancos até os vestidos, que definitivamente perderam o ar de reveillon, a cor invadiu as publicações e as passarelas de vez. Nesta temporada, além das composições em branco total, mais um item foi conquistado pelo tom.

Espelhados, de gatinho, redondos…Os modelos de óculos escuros disponíveis hoje em dia são infindáveis, passando dos clássicos até os mais ousados possíveis. Na temporada internacional de Verão 2013 que acabou de acontecer, uma característica apareceu mais que qualquer outra: Modelos brancos!

Tenho um par de Wayfarer no tom, graças a Chloé Sevigny que passou boa parte da década passada desfilando o seu, lembram?

Nas coleções de Primavera/Verão surgem para todos os estilos. A cor marcante, chama atenção para o rosto e transforma qualquer combinação básica em um look mega moderno e com informação de moda, mas ainda sim, muita gente tem preconceito. Vocês usariam?

Na Moncler aparecem bem hipster, em formato arredondado e espelhados (hit!), na Rochas a sugestão é no modelo redondinho e gráfico:

Já na Moschino o apelo é vintage e na Temperley London, a proposta é mais delicada e até romântica:

Os irreverentes não poderiam deixar de aparecer: Nos polêmicos modelos da Prada com aplicações florais, e no modelo da Missoni que mais lembra um óculos de mergulho.

Dris Van Noten  revisitou o movimento grunge para o Verão 2013, imprimindo sua estética andrógina e sua expertise com estampas. Óculos brancos eram marca registrada de Kurt Cobain, um dos símbolos do movimento do início dos anos 90:

Aliás, o belga encantou com sua coleção inteira, mesclando marcas registradas do período como florais, sobreposições, animal print e uma estética oversized ao seu apreço por alta-costura e leve toque oriental, como em algumas estampas e nas calças estilo pijama:

Fugindo do óbvio, ele reinventou o xadrez com tecidos nobres como organza e tafetá, apostando em uma silhueta fresh e inesperada:

O grunge em versão sofisticada e mega atual…

PS: Passei os últimos dias focada no Competence Lab- Fashion Trends Inverno 2013, essa semana prometo que o site volta com a programação normal, ainda tem muita coisa legal para comentar da nova temporada!

Fotos: Vogue.com, Stylesight, GFYS.

Deixe um comentário

Arquivado em Acessórios, Fashion Week, Microtrend

Inverno 2012- Uniformizadas.

Com o fim da temporada Outono/Inverno 2012-13 internacional, finalmente as maiores tendências são confirmadas. A primeira delas é o militarismo, peças com apelo utilitários, tons de cáqui, verde, azul marinho e detalhes de styling como luvas, botões e até chapéus. Praticamente todas as principais marcas apresentaram alguma versão para esta moda, e para minha surpresa, duas das minhas favoritas foram Victoria Beckham e McQ.

Seria irresponsável alegar que Victoria Beckham nunca serviu de inspiração sartorial para mim, afinal, a Posh Spice costumava ser a minha preferida. Mas entre os anos 90 e agora, Victoria e seu estilo over “WAG” nunca chamaram minha atenção positivamente, até ela começar a levar a sério sua carreira na moda e contratar Roland Mouret como consultor. Seu Inverno 2012 com super inspiração militar foi um dos mais fortes da #NYFW. A tendência ganha apelo sexy na silhueta ajustada, mas compensa com muita sofisticação na alfaiataria, na cartela de cores e no styling mais rígido. Sem esquecer dos coturnos de salto by Louboutin.

Para o primeiro desfile da McQ, segunda marca de Alexander McQueen, Sarah Burton caprichou e criou uma coleção para competir com marcas como Miu Miu e não somente uma versão simples e acessível do lifestyle da marca. O militarismo aqui é luxuoso, os casacos pesados ganham shape e detalhes utilitários, mas os bordados ricos elevam os looks para outro patamar. Couro, detalhes em pele, coturnos over the knee em preto e com detalhes bordô, cintos definindo bem a cintura foram recorrentes na coleção. O meu detalhe favorito, que confirmou a genialidade da sucessora de McQueen, foi a sacada dos bolsos dos casacos criarem um volume como peplums, reparem no look da primeira foto.

O desfile com mood super outonal foi um verdadeiro espetáculo, vale a pena apertar o play e conferir! Sem contar que as roupas ficam ainda mais lindas em movimento.

Para enfrentar o frio, os casacos pesados com estilo militar serão apostas certeiras: Dries Van Noten, Isabel Marant, Yohji Yamamoto e Francesco Scognamiglio criaram suas versões para personalidades bem distintas.

A cartela de cores pode ser mais leve em variações de tons mais claros: militar com saia de babados na Burberry Prorsum, conjuntinho pra Barbara Bui, estampa camuflada na Acne e calça cropped na Max Mara.

Para quem não abre mão do glamour, Anthony Vaccarello sugere look navy em cetim e Salvatore Ferragamo mistura couro e textura no trench coat atualizado.

Ninguém vai ficar de fora…

Fotos: Vogue.com.

5 Comentários

Arquivado em Fashion Week, Inspirações, Trend alert

A influência oriental na moda e a interpretação das marcas fast fashion:

A tendência oriental ressurgiu com força na última temporada Primavera/Verão. Marcas como Louis Vuitton, Haider Ackermann, Dries Van Noten, investiram pesado utilizando de estampas típicas (como flores, em especial orquídeas), tecidos acetinados, cinturas marcadas por cinto obi, mistura de estampas, plataformas…

No Outono/Inverno marcas tradicionais apostaram na tendência como Armani, Ralph Lauren e Giambattista Valli.  A cantora Inglesa Florence Welch estrela a capa da nova Vogue Japão, de blazer tuxedo da coleção Ralph Lauren Outono/Inverno 2011-12:

E continua em editorias como estes da Vogue Alemã e Francesa:

As marcas fast fashion estão permanentemente traduzindo as tendências das passarelas tornado-as acessíveis e fáceis de usar no dia-a-dia. Apesar da coleção Outono/Inverno da Zara trazer peças mais literais da influência asiática, a maneira favorita de aderir foi através dos kimonos: Respeitando o modelo normal ele vem em estampas diversas (não somente as asiáticas). Aparecem também mais longos quase como capas, transparentes, com texturas, franjas, bordados e principalmente em looks de influência Boho, anos 70 e estilo moda festival, deixando-o bem casual e despretensioso. Foi o cover-up preferido das meninas do Hemisfério Norte neste Verão, combinado com o onipresente short jeans e bastante acessórios como colares longos e muitas pulseiras.

Os mais longos e transparentes:

Fica lindo colorido também:


Embarcando na onda anos 70 e já na sua coleção de Inverno, a Topshop sugere o uso do kimono em looks com comprimento maxi, sobreposições, e investe nos kimonos com estampas tribais ou tie-dye, fugindo do óbvio (Desculpem a qualidade das fotos, não é permitido fotografar dentro da loja, portanto apelei para o celular):

Na H&M duas versões: com flores digitalizadas e mais delicada, e na pegada anos 70 com lurex e franjas:

Na Zara com o shape clássico e estampa também:

Disponível também na Asos já em versão outonal e na Nasty Gal ainda em clima de Verão:

Perfeito para “quebrar” um look de proporções ajustadas demais, deixando-o mais interessante e moderno (e menos apelativo), ou para adicionar um toque especial à looks mais básicos, aderir à moda anos 70…

Fotos: Reprodução Vogue Nippon/Vogue Paris/Vogue Deutsch, LouisVuitton, StockholmStreetStyle, Lookbook.nu, Asos, NastyGal, Roberta Weber.

2 Comentários

Arquivado em Como usar?, Inspirações, NY, Trend alert

Acessórios update: Bicolores e tricolores.

Preferência da maioria das mulheres, as bolsas e sapatos nem sempre acompanham as tendências das roupas, são tão importantes (e sustentam tantas marcas de luxo) que acabam merecendo suas próprias novidades que complementam os conceitos e inspirações das coleções como um todo.

Revisitando os clássicos e tudo a ver com a moda lady-like e influência anos 60 da temporada, no Outono/Inverno 2011-12 os sapatos bicolores apareceram em força e para vários gostos.

Na vitrine da Louis Vuitton, a combinação de roxo com vermelho no Oxford de salto alto acompanha a coordenação de cores da roupa:

Tons similares escolhidos para as bolsas Pierre Hardy e Burberry prorsum em camurça e em verniz:

O  scarpin de bico redondo com glitter é a aposta da Miu Miu:

Givenchy e Louboutin também sugerem um Inverno clássico com scarpins de bico fino e a sofisticada combinação de neutros com metálicos:

Ainda na onda dos metálicos Alexander Wang lança o polêmico sapato branco em modelo sandalboot bicolor e Charlotte Olympia na wedge listrada:

As botas também ganham suas versões: a Chanel, que tem nos bicolores uma de suas marcas registradas, sugere a bota P&B. Já a Prada com sua coleção de sapatos trompe l´oeil traz várias versões desta tendência:

No híbrido de mocassim e slipper de salto da Céline e no mocassim tratorado da Burberry Prorsum em cartela de cores bem invernais:

Nas bolsas invernais algumas marcas optaram por duas cores e duas texturas, como o croco, na versão metalizada Dries Van Noten e no modelo Silvana da Fendi:

No Verão das coleções Resort,  a moda continua na combinação de duas cores da ankle boot com dourado Balmain, e no scarpin Emilio Pucci:

E evolui para a moda tricolor, tanto nos sapatos quanto nas bolsas.

Combinação navy da sandália YSL, no mocassim de salto do designer Jason Wu, na delicada rasteira Moschino em “candy colors” e na sandália de influência tribal Thakoon:

Nas bolsas, a tendência principal é dos formatos mais compactos e estruturados chamadas “boxy”, tricolores ganham opções em cartela de cores neutras e delicadas da Pucci, Reed Krakoff, Chloé e Marc Jacobs:

A tendência bicolor foi tema de um post do ConexãoLondres em Junho, destaque para as calças bicolores do Outono/Inverno. Para ler só clicar aqui.

Fotos: style.com, Net-a-porter, Roberta Weber.

2 Comentários

Arquivado em NY, Trend alert